Internet das coisas no setor automotivo: o que esperar para o futuro

1 de agosto de 2019 6 minutos de leitura Produtos originais Todas as Postagens

A indústria automobilística sempre esteve no topo quando o assunto é inovação. Foi umas das primeiras a incorporar o GPS nos veículos, a utilizar monitoramento via satélite para o transporte de cargas e, claro, a possibilitar a conexão com dispositivos móveis. Além das interações que vemos fora das fábricas, ainda há toda uma gama de ações que ocorrem dentro das montadoras e, por isso, falar em internet das coisas no setor automotivo é praticamente obrigatório.

Um estudo feito em 2016 pela empresa de consultoria de negócios Frost & Sullivan mostrou que o mercado de IoT (internet of things) no Brasil movimentou 1,35 bilhão de dólares só naquele ano, sendo a indústria automotiva uma das mais relevantes, ao lado da de manufatura. A pesquisa ainda apontou que esse tipo de investimento deve atingir a casa dos 3,29 bilhões de dólares em 2021 no país, principalmente no desenvolvimento de softwares e serviços diretamente ligados às soluções voltadas para a internet das coisas.

Também segundo o estudo, a previsão é de que a indústria de veículos seja uma das que mais deve investir em IoT até 2021, uma vez que a transmissão de informações à distância de veículos comerciais representou a maior parte da conexão M2M (máquina para máquina) no mercado brasileiro nos últimos anos.

E não para por aí, pois a internet das coisas no setor automotivo tem muito o que mostrar nos próximos anos. Por isso, neste artigo, levantamos o que está por vir quando juntamos tecnologia, inovação, conectividade e pessoas interessadas em tornar o futuro cada vez mais prático e funcional.

Principais tendências da internet das coisas no setor automotivo

Antes de listarmos as tendências da internet das coisas no setor automotivo, é importante ressaltar que a IoT não é um fenômeno isolado. Muitas outras tecnologias caminham lado a lado com ela, apoiando-a e complementando-a, como a inteligência artificial, a realidade aumentada, o machine learning e o big data. Dito isso, vamos às principais tendências!

1 – Cadeia produtiva conectada

A eficiência da cadeia produtiva é essencial para o desenvolvimento de qualquer operação. Por isso, manter uma boa comunicação entre as montadoras e os desenvolvedores de peças originais (OEM) é fundamental, uma vez que diversos componentes precisam ser entregues por esses fornecedores nas linhas de produção em modelo just in time.

Também conhecida como just in sequence, essa é uma modalidade de reposição em que não há excessos ou carências, mas pontualidade e precisão de volume, o que assegura a continuidade do trabalho e elimina a necessidade de vastos estoques.

Ao usar a internet das coisas para fazer essa comunicação, a indústria consegue manter a cadeia produtiva interligada, facilitando o gerenciamento do estoque e o uso de inteligência embarcada para o monitoramento de todas as partes e o rastreamento dos produtos, por exemplo.

Com isso, as montadoras podem aumentar a eficiência na produção de veículos e garantir a melhora na produtividade, com o ritmo da fábrica norteado pela demanda e pelo aumento da qualidade dos produtos.

2 – Carros conectados

Hoje, já é possível conectar o carro a outros dispositivos, a premissa básica da internet das coisas, porém, um dos principais impactos dessa conectividade é a quantidade de dados que pode ser gerada em tempo real. É aí que a indústria automotiva entra, já que conta com a oportunidade de aproveitar essas informações para fazer mudanças revolucionárias em seus processos e produtos.

Além disso, cruzar essas informações com outros pilares da transformação digital, como tecnologia para vendas, fabricação e mobilidade, pode apresentar propostas comerciais para novas formas de gerar receita para a indústria, monetizando dados e ofertando serviços com mais valor agregado.

Assim, as montadoras poderão saber se um carro apresentou problemas antes do motorista entrar em contato e fazer um diagnóstico remoto, evitando uma ida à concessionária ou, até mesmo, marcar um horário de atendimento de maneira antecipada, surpreendendo o cliente.

Um carro conectado pode, ainda, oferecer mais praticidade e facilidade ao dia a dia do motorista ao monitorar as condições do veículo e das estradas, podendo conectá-lo a serviços de emergência e a outros carros. Com isso, dirigir tende a virar uma atividade muito mais segura, prática e intuitiva.

3 – Inteligência artificial

Com o número de equipamentos e dispositivos interligados aumentando a cada dia, o volume de informações produzidos também cresce. Esses dados são o combustível que fortalece a internet das coisas e garante a capacidade das organizações de criarem valor a partir deles. Esse é o tipo de oportunidade que definirá, em longo prazo, o sucesso dessas empresas.

E uma das formas de ler, entender e transformar todos esses dados em informação útil é usar a inteligência artificial. Por isso, as montadoras precisam continuar investindo em plataformas inteligentes e em serviços que se baseiam nelas, pois a possibilidade de obter bons resultados é bem grande.

4 – Inovação dos sensores

O mercado de sensores também vai continuar evoluindo. Novos dispositivos vão permitir que uma ampla gama de situações e eventos sejam identificados. O que já tem disponível no mercado vai ficar mais acessível em relação ao preço, inclusive sendo empacotado de novas maneiras para sustentar aplicativos mais modernos, e novos algoritmos serão implementados para extrair e deduzir mais informações das tecnologias dos sensores atuais.

Diante disso, os gestores devem se assegurar que suas equipes estejam acompanhando as mudanças desses componentes para identificar quais novidades podem ajudar na geração de oportunidades e de inovação para aumentar o valor da marca e, claro, elevar a lucratividade.

Bom, tratamos aqui de algumas tendências que a internet das coisas no setor automotivo vai trazer ou ampliar nos próximos anos. E a pergunta que fica é: a sua montadora está preparada para absorver as novas tecnologias que já estão no mercado e aquelas que ainda estão por vir? Na Riosulense, estamos preparados para atuar como parceiros da sua indústria, entregando peças automotivas originais no modelo que for mais adequado para todas as partes.

Inclusive, na fabricação de nossos produtos, estamos constantemente investindo em diversas frentes voltadas para a internet das coisas, tudo para deixar nosso processo ainda mais preciso e ágil. Para saber mais sobre como podemos desenvolver uma parceria que consegue olhar para o futuro e enxergar muitas possibilidades, entre em contato com nossa equipe. Nossos especialistas estão sempre a postos para atendê-lo!

Deixe um comentário

Você faz
a RIO

Sabia que vários de nossos produtos foram desenvolvidos especificamente em função de seus comentários?

Você, EXPERT, está na linha de frente e sabe do que está falando. Por isso, queremos ouvi-lo e criar novas soluções para facilitar o seu dia-a-dia.

Explore o site e fale conosco. Aqui você importa.
Use este formulário ou, se preferir, conecte-se aos nossos canais: